Carrinho de Compras

TUDO SOBRE WHEY PROTEIN

PRIMEIRAMENTE, O QUE É WHEY PROTEIN?

Já ouviu falar no Whey Protein (para os íntimos é só Whey)? Provavelmente sim. Ainda não? Não tem problema e mesmo que você saiba o que é deve ter duvidas a respeito dele. Neste texto vamos explicar para que serve o Whey Protein e quais os tipos disponíveis no mercado.

O Whey é uma das suplementações mais indicadas para quem pratica atividades físicas. Ele é recomendado para aqueles que querem ganhar massa muscular. Sua utilização acelera o processo para aquisição de massa magra, principalmente entre os que buscam a hipertrofia muscular.

Esse produto nada mais é do que uma proteína extraída do soro do leite. Sua principal característica é oferecer todos os aminoácidos presentes na construção da musculatura e necessários para que o músculo se recupere bem do esforço ao qual foi submetido. O Whey é composto principalmente pelas proteínas alfa-globulina e beta-globulina.

A suplementação também é benéfica para quem realiza outras atividades físicas. Atletas que praticam esportes aeróbicos de longa duração, como ciclistas e maratonistas, também são o público-alvo dela. 

Há casos também em que o Whey é indicado para quem quer emagrecer. A proteína é um nutriente que traz bastante saciedade para o organismo. Uma dieta balanceada aliada ao uso desta suplementação pode trazer benefícios para quem quer perder peso, pois ajuda a pessoa a comer menos.

Note que a dieta precisa ser BALANCEADA. Caso você tenha uma alimentação desregrada e repleta de excessos, o Whey pode te levar para outra direção. Essa suplementação é calórica e, em excesso, pode ser armazenada no corpo em forma de gordura.

COMO FUNCIONA O WHEY

Apesar de todos os benefícios, o Whey Protein não é para ser consumido como se fosse uma maçã. Como toda suplementação, o uso deve ser ministrado por um profissional capacitado. 

Assim, você saberá se ele se adequa ao que você quer e a dosagem correta, caso o Whey seja indicado para você. A ingestão na dose errada pode fazer com que você tenha problemas de saúde, em situações que a ingestão seja acima do recomendado, e pode não fazer efeito, caso seja em quantidade abaixo do ideal.

Alguns aminoácidos não são produzidos pelo nosso organismo. Essa carência é suprida pelo Whey Protein, oferecendo ao corpo proteínas como leucina, isoleucina e valina. Elas, entre outras, fazem parte da composição do produto e são essenciais para que fibras musculares sejam produzidas.

O Whey atua de duas maneiras na musculatura. A primeira delas é ajudar na construção da massa muscular. A segunda é reparar os músculos. Quando você realiza um exercício, a musculatura sofre diversas microlesões. O organismo se mexe para repará-las, gerando o fortalecimento muscular. A suplementação ajuda a acelerar o processo.

Se você acompanha nossos textos aqui no blog, já deve ter lido em outras publicações que falamos que a suplementação não faz nada sozinha. 

Sem uma boa alimentação e a prática de atividades físicas, ela não gera resultados. Os suplementos são efetivos, mas não são mágicos. O mesmo vale para o caso do Whey Protein. Consumi-lo e achar que os resultados virão automaticamente fará a relação com o Whey acabar em frustração sem ele ter culpa.

TIPOS DE WHEY PROTEIN

Se você já entrou em uma loja que vende suplementos alimentares, deve ter notado que há uma grande quantidade de marcas e tipos de Whey à venda.Não entre e escolha qualquer um. Se informe e procure saber qual o melhor tipo para as suas necessidades. São três tipos diferentes. Vamos explicar as características de cada um deles.

Concentrado: É o tipo mais barato disponível no mercado. O Whey concentrado se dá quando o soro do leite passa por somente uma filtragem. Assim os carboidratos presentes são preservados, bem como minerais e gordura. A consequência é um produto com um índice protéico menor. Assim, o organismo demorará mais tempo para absorver a proteína presente na suplementação. 

Isolado: o Whey isolado é extraído quando há uma filtragem maior do soro do leite. Desta maneira, a proteína fica “isolada” dos demais nutrientes presentes. Esse tipo de Whey é composto 90% de proteínas. Como consequência, a uma quantidade menor de carboidratos e gordura está presente. Além da maior concentração dos aminoácidos, haverá uma absorção maior por parte do organismo.

Hidrolisado: por fim, há o Whey hidrolisado. É um tipo que facilita a absorção e digestão do suplemento, pois a proteína está em pedaços ainda menores. É o mais caro entre os três tipos. Mesmo que a absorção seja acelerada, ela não resulta em ganho maior de massa muscular, segundo indicam estudos. 

Na prática, os três tipos são eficientes. A escolha deve ser feita tendo em mente as suas necessidades. Como dissemos, o ideal é sempre consultar um profissional capacitado para lhe dar a melhor indicação para aquilo que se encaixa ao seu perfil.

Na hora que você vai comprar a sua suplementação, fique atento à quantidade de proteínas presente na composição do produto. Também é preciso prestar atenção em todos os ingredientes que compõem o Whey. Existem fabricantes que, para reduzirem o preço, adicionam outros nutrientes que não afetam o ganho de massa muscular. 

POSSÍVEIS PERIGOS DO WHEY PROTEIN

O uso do Whey em excesso pode causar problemas à saúde. Órgãos como fígado e rins podem ficar sobrecarregados. Caso a ingestão em abundância seja prolongada, doenças podem surgir, entre elas, o temido e dolorido cálculo renal. Então, busque auxílio e escolha o melhor Whey Protein para a sua necessidade.

O Whey atua de duas maneiras na musculatura. A primeira delas é ajudar na construção da massa muscular. A segunda é reparar os músculos.