Carrinho de Compras

MAGREZA E SAÚDE

Ser magro não é sinônimo de saúde

Caso colocassem à sua frente uma pessoa magra e uma pessoa acima do peso, qual delas você diria que é mais saudável? O senso comum nos diz que a pessoa que aparenta ter menos gordura na sua composição corporal está mais saudável. Na prática, saúde é algo que não se consegue ver a olho nu. É uma questão de hábitos, não uma questão do formato do corpo.

A definição de saúde, de acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), é muito mais ampla do que a forma física. Para a entidade, ter saúde é ter um estado completo de bem-estar físico, mental e social e não consiste somente na ausência de uma doença ou enfermidade.

Em outras palavras, para sermos verdadeiramente saudáveis, precisamos estar bem em relação ao corpo, à mente e à interação com os outros. Pesar muito ou pouco não tem relação direta com isso. É possível ser magro e não ser saudável. É possível estar acima do peso e ter uma boa saúde. Aqui abordaremos principalmente a relação do corpo com a saúde.

Ser magro é mais
estético do que saudável

   A magreza ou a gordura estão muito mais conectadas ao que a sociedade entende como bonito do que com ter saúde. O conceito de beleza varia conforme o tempo. Na antiguidade, a mulher bonita era aquela com um corpo mais volumoso, vinculado à fartura. O mundo da moda modificou essa imagem. Atualmente, podemos dizer que o padrão estético de beleza é ser magro.

   No entanto, ainda que bonita aos olhos de quem vê, a magreza pode esconder diversos problemas de saúde. Ser saudável é um estilo de vida, não um corpo que pesa pouco. Um biotipo magro não será sempre o reflexo de uma vida saudável e equilibrada. O metabolismo acelerado é capaz de deixar magro um organismo doente.

Nesse caso, a parte de dentro do corpo é o mais importante.

   Uma pessoa magra pode apresentar diversos problemas de saúde decorrentes de uma vida recheada de maus hábitos, como má alimentação, alcoolismo e tabagismo. Também há o fator genético a ser levado em consideração. Doenças silenciosas como diabetes, gordura no fígado e problemas cardiovasculares podem se esconder sorrateiramente atrás da magreza. Vale levar em considerações a questão genética. A hereditariedade está ligada a diversos problemas de saúde.

   A balança pode até mostrar um peso satisfatório, mas por baixo da pele pode haver uma relação entre gordura e massa muscular desfavorável. O contrário também é valido. É possível encontrar pessoas que visualmente estão acima do peso, mas possuem hábitos saudáveis e a composição corporal tem uma boa relação entre massa muscular e gordura.

O que fazer para
ser mais saudável

   A dobradinha para ser saudável é uma alimentação adequada e a prática de atividades físicas. Essas duas atitudes ajudam a manter regulados os níveis de colesterol, triglicerídeos e diabetes, entre outros benefícios. Na contramão, a má alimentação (muito açúcar e muita gordura), vícios, como tabagismo e etilismo, e o sedentarismo aumentam o risco de doenças.

   Uma alimentação saudável baseia-se na boa hidratação para desintoxicar o organismo; evitar alimentos muito calóricos e com muito sódio e açúcar; evitar dietas ou produtos milagrosos que podem acabar prejudicando o seu metabolismo.

Abaixo uma lista de medidas que
deixarão o seu organismo mais saudável

– Beba dois litros de água por dia;

– Consuma petiscos, embutidos e bebidas alcoólicas de maneira moderada;

– Evite frituras;

– Faça as refeições principais (café da manhã, almoço e jantar);

– Não troque as refeições por produtos que prometem fazer milagres;

– Evite ficar sentado de maneira seguida por muito tempo;

– Pratique exercícios físicos, pelo menos, três vezes por semana;

– À noite, fuja dos carboidratos;

A busca por um corpo magro em pouco tempo não é saudável.
Pensando que se está em busca de um corpo mais saudável, você acaba indo para o caminho contrário.

Seu eu fizer exercício
vou emagrecer?

Muitas pessoas buscam na prática de atividades físicas uma maneira de perder peso e ficar com o corpo em forma. Emagrecer realizando exercícios é uma tendência, mas não uma certeza.

Quando realizamos uma atividade física, o consumo de energia (calorias) aumenta e passa a existir a possibilidade da perda de peso. Mas isso também estará ligado à alimentação. Se o consumo de calorias nas refeições for elevado e se a alimentação não for balanceada, o exercício não fará milagres. Cada indivíduo tem um metabolismo e, por isso, é possível se alimentar bem, ser fisicamente ativo, ter boa saúde e ser gordinho.

Benefícios do
exercício físico

A prática do exercício físico vai além do cuidado com o corpo, ela engloba os três aspectos definidos pela OMS para se ter uma boa saúde. Além de melhorar o funcionamento do organismo, ela melhora o bem-estar mental e social.

Abaixo veja a lista de benefícios do exercício para o corpo

– Aumento do gasto de energia

– Fortalecimento de músculos, tendões e ossos

– Aumento dos níveis de energia

– Redução do risco de doenças crônicas,

– Ajuda a diminuir o colesterol

– Melhora a qualidade do sono

– Redução de dores corporais

Abaixo veja a lista de benefícios do exercício para o corpo

– Produção de serotonina, o hormônio do bem-estar

– Ajuda a diminuir os níveis de estresse

– Ajuda no combate à depressão

– Melhora da autoestima

– Ajuda no combate à ansiedade

 

Independentemente da forma física, o importante é ter saúde e estar bem consigo mesmo. Além da alimentação saudável e da prática de exercícios físicos, recomendamos consultas médicas periódicas para evitar ser surpreendido por alguma doença silenciosa.