Carrinho de Compras

Novas diretrizes da OMS sobre atividade física e sedentarismo

No ano de 2020, a OMS modificou as suas recomendações sobre o volume de atividades para sair do sedentarismo. Confira o que mudou!

     Você é uma pessoa fisicamente ativa? Você sabe quanto tempo precisará se dedicar para se tornar alguém ativo fisicamente? Desde o fim de 2020 é preciso se esforçar um pouco mais para deixar de ter um comportamento sedentário. A OMS (Organização Mundial da Saúde) lançou novas diretrizes sobre o tema, elevando a quantidade de tempo semanal necessária para que a pessoa não seja considerada sedentária.

     A nova versão dos critérios indica que agora é preciso realizar entre 150 e 300 minutos de atividade física moderada a vigorosa por semana para adultos. As orientações anteriores, que estavam em vigor desde 2010, falavam em pelo menos 150 minutos. Se a atividade for de intensidade vigorosa, a necessidade baixa para um patamar entre 75 e 150 minutos.

     São consideradas atividades moderadas ações como jardinar, pedalar e caminhar. Subir escadas, correr e nadar se encaixam em atividades mais vigorosas.

   Pessoas com doenças crônicas e que possuem algum tipo de incapacidade também precisam se adequar a essa classificação para não terem um comportamento considerado sedentário. No caso das crianças, a entidade recomenda 60 minutos de atividades físicas diárias, em média. 

     Idosos devem focar seus exercícios para melhorar a força e o equilíbrio, evitando, assim, quedas. Grávidas podem realizar atividades físicas regularmente durante a gestação.

Saúde e economia
andam juntas

     A intenção da OMS com definições mais rígidas têm como objetivo incentivar as pessoas a deixarem de ser sedentárias e combater o risco de doenças e morte precoce. A atividade física é fundamental para combater algumas doenças crônicas, como problemas cardíacos, diabetes tipo 2 e câncer. Elas também reduzem os sintomas de depressão e ansiedade, além de diminuir o declínio cognitivo e melhorar a memória.

     Os números apontados pela entidade são preocupantes. Estima-se que 25% dos adultos sejam sedentários. Entre adolescentes, o índice é muito mais alarmante, atingindo 80% dos jovens. Manter o corpo parado custa cerca de US$ 54 bilhões anuais em assistência médica em todo o mundo. A conta é engrossada por outros US$ 14 bilhões desperdiçados por falta de produtividade.

     Embora deixe claro que quanto maior a quantidade de exercício, melhor, a OMS afirmar que uma atividade física é benéfica independentemente de sua duração. 

     Atividades físicas de qualquer intensidade têm capacidade de melhorar o bem-estar.

    Se o seu trabalho for realizado sentado, é indicado uma quantidade de exercícios maior.   A situação se agrava em um momento em que parte da população trabalha em home office, onde há uma menor movimentação do corpo. 

     Outro fator apontado, é que toda a atividade física traz benefícios. Isso vale para ações que fazem parte da rotina de trabalho, práticas esportivas e de lazer, e locomoção, como andar de bicicleta, caminhar, etc…

    As mudanças nas diretrizes da OMS enfatizam como é vital para a saúde sermos fisicamente ativos, independentemente da idade. 

     Estar em movimento é trabalhar corpo, coração e mente. É buscar um melhor bem-estar.

Para ver todas as determinações, clique aqui e baixe nosso Infográfico das Novas Diretrizes da OMS quanto ao Sedentarismo.